sábado, 7 de novembro de 2015

Reforma do estádio desaba e Água Santa deve perder vaga para Mirassol no Paulistão 2016

O que já era difícil ficou praticamente impossível! O Água Santa, que ganhou dentro de campo, no Campeonato Paulista da Segunda Divisão (Série A-2) de 2015, o direito de disputar o Paulistão 2016, não conseguirá se adequar ao regulamento da competição de ter estádio com capacidade para 10 mil lugares na cidade de Diadema, sua sede, e deverá ceder a sua vaga para o Mirassol, o quinto colocado na mesma competição e que pleiteia a vaga exigindo que se cumpra o regulamento.

Em tentativa desenfreada de se adequar ao regulamento, o Água Santa iniciou, a mil por hora, a reforma do estádio. E na manhã deste sábado (7/11), parte da estrutura do Estádio Municipal José Batista Pereira Fernandes, no Jardim Inamar, em Diadema, desabou. O setor que caiu estava separado para abrigar as cabines de imprensa e camarotes.

De acordo com funcionários da Secretaria Municipal de Esportes de Diadema, apesar do desabamento e de vários funcionários trabalhando no local, não houve feridos e vítimas fatais.

O presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), Reinaldo Carneiro Bastos, havia recebido os laudos da reforma do estádio. E não estava convencido de que o mesmo estaria pronto até o dia 31 de janeiro de 2016, data do início do Paulistão.

Reinaldo Carneiro Bastos mandaria funcionários inspecionar o local na próxima quarta-feira, antes de definir se a vaga realmente ficaria com o Água Santa ou seria repassada ao Mirassol.

Vale lembrar que a FPF já diminuiu a capacidade dos estádios para clubes que disputam o Paulistão. Até a competição de 2015, a capacidade mínima era de 15 mil lugares. Porém, para ajudar os filiados, principalmente o Água Santa, essa capacidade caiu para 10 mil.

Tudo indica que o Água Santa voltará para a Segunda Divisão do Paulista em 2016. O mesmo vai acontecer com o Atibaia, que também subiu em campo na Terceira Divisão do Paulista (Série A-3) para a Segunda Divisão. Porém, o seu estádio, municipal, tem capacidade para apenas três mil pessoas, a prefeitura não teve verba para ampliá-lo, e o clube será penalizada cedendo a vaga para o Barretos.

Um comentário:

Carlos Eugenio Narrador disse...

Ademar acho que se equivocou neste texto , as obras de ampliação da capacidade do estádio do Inamar se iniciaram logo após o término da série A2 que deu a vaga na bola para a equipe de Diadema.