segunda-feira, 24 de abril de 2017

Ponte Preta vai iniciar venda dos ingressos para a final na quarta-feira

Com a presença do presidente alvinegro Vanderlei Pereira e o vice Giovanni Dimarzio, o conselho arbitral da Federação Paulista de Futebol (FPF) definiu nesta segunda-feira (24/4) os dias e horários das finais entre Ponte Preta e Corinthians.

A Macaca faz o primeiro jogo em casa, às 16 horas de domingo (30), e o segundo, em Itaquera, às 16 horas do dia 7 de maio.  E os ingressos começarão a ser vendidos depois na quarta-feira (26).

``A força do torcedor tem sido excepcional para o time e no primeiro jogo temos que fazer a diferença. Espero casa cheia, este é nosso passo final no campeonato e acredito que com o apoio da torcida coisas boas podem vir para a gente´´, disse o técnico Gilson Kleina.


Os ingressos na arquibancada central serão vendidos a R$ 40,00 (inteira) e R$ 20,00 (meia). Nas cabeceiras, bem como no setor visitante, o valor de venda será de R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia). Em todos os pontos físicos, a venda de ingressos vai diariamente das 11 às 17 horas, a exceção das bilheterias do Majestoso que, no dia de jogo, permanecem abertas até o final do primeiro tempo desde que haja permissão da PM.

Além do estádio, são pontos de venda para os pontepretanos as Lojas Baby do Centro e do Campinas Shopping, o Bar dos Artistas (Rua Pelicano, 539, Jardim Londres); Bar do Goiano (Rua Carmen de Angelis Nicollete, 554, DIC 5); Supermercado São João (Rua Dr. Edgar Pereira de Souza, 9, Parque Valença); e Malagueta (Rua Antônio Maria Brandão, 417, Jardim Eulina).

Também é possível adquirir via www.ingressofacil.com.br.

Para a torcida do Corinthians, a pedido de sua diretoria, será enviada toda carga de 2,2 mil ingressos para São Paulo.


Vale lembrar que crianças até 12 anos não pagam ingresso no Majestoso, desde que apresentem RG e estejam acompanhadas dos pais ou responsáveis devidamente identificados.

JOGO DE VOLTA

Também foi definido o valor dos ingressos para o jogo de volta, no domingo (7), às 16 horas, no Itaquerão, em São Paulo. Serão disponibilizados 2,2 mil ingressos aos pontepretanos por R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia) - a carga será vendida exclusivamente no Majestoso.





Fonte: assessoria de imprensa da Ponte Preta

XV de Piracicaba vai atrás de novo treinador para disputar a Série D do Brasileiro

Com o término do Campeonato Paulista da Segunda Divisão (Série A-2), quando o XV de Piracicaba conseguiu escapar do rebaixamento somente nos minutos finais da última rodada da primeira fase, na vitória, de virada, por 2 a 1, dentro de casa, diante da Portuguesa, a torcida finalmente respirou aliviada ao evitar outra queda. E agora quer paz!

Passado o sufoco da primeira competição em 2017, o XV já procura seu novo rumo. O té
cnico Vica - o terceiro no clube na Segunda Divisão (Cléber Gaúcho e Ronaldo Guiaro não conseguiram tirar o time so sufoco) - deixou o time nesta segunda-feira (24/4), após reunião com a diretoria.

``Acredito que toda a nação quinzista gostaria de dizer ao Vica muito obrigado. Afinal, seu empenho em prol da nossa instituição foi muito grande e isso foi coroado com a partida contra a Portuguesa, que ficará viva na memória de muitos piracicabanos. Desejamos que ele tenha muito sucesso na sequência de sua carreira´´, disse o presidente Christofoletti.

A estreia do XV no Campeonato Brasileiro Série D será no dia 21 de maio, às 16 horas, contra o São Paulo-RS, no Estádio Municipal Barão da Serra Negra, em Piracicaba.

Em relação aos jogadores, foram acertadas as rescisões contratuais de dois atletas que tinham vínculo até o final da Segunda Divisão: o zagueiro Marcos Vinicius e o meia Dodô.

Já o lateral-esquerdo Cleber e o atacante Bruno Santos não terão os contratos renovados para a Série D.

``Agradecemos aos atletas e ao Vica pelos serviços prestados e desejamos sucesso a todos na sequência de suas carreiras. O momento é de formar o grupo que nos representará nessa volta ao cenário nacional´´, disse o vice-presidente e diretor de futebol, Ricardo Moura.


Já alguns atletas tiveram contratos estendidos antes mesmo do duelo diante da Portuguesa. O atacante Bruninho, autor de cinco gols na competição, tem contrato agora até 30 de novembro de 2019. O volante Gilson, com boas atuações, acertou sua permanência para o torneio nacional. 

Como o confronto contra o time gaúcho ocorre em menos de um mês, a reapresentação do elenco ficou acertada já para a manhã da próxima quarta-feira.

``Garantida nossa permanência na Série A-2, o pensamento já está totalmente voltado para a Série D. Vamos trabalhar para definir todos os casos o mais rápido possível, inclusive a contratação do novo treinador. Os erros e acertos servem de aprendizado e a expectativa é que façamos boa campanha no cenário nacional, que é o objetivo do clube há algum tempo´´, comentou o gestor de futebol, Beto Souza.




Fonte: assessoria de imprensa do XV

Gilmar Dal Pozzo avalia início de trabalho do Juventude para a Série B


O Juventude segue a preparação para o Campeonato Brasileiro da Série B e busca atletas para reforçar o elenco do técnico Gilmar Dal Pozzo. Com quase três semanas para a estreia na competição, contra o Luverdense, dia 13 de maio, às 16h30, no estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, o comandante alviverde entende que o período se faz importante para dar mais qualidade ao grupo e bom condicionamento físico, que faltou no começo da temporada.

``A rigor o clube está começando agora o seu ano. Temos competição forte e intensa pela frente. Nessa época sem jogos precisamos tirar o lado positivo, que é o de aproximar o elenco, passar condições de trabalho, fortalecer a parte física, pois serão viagens longas, partidas seguidas e o ideal é termos todo o grupo preparado da mesma maneira. Além disso, a conversa do dia a dia, as orientações táticas, só são possíveis com o tempo, então estamos aproveitando esse período. Vamos realizar amistosos, já confirmamos contra o Ypiranga, para poder dar ritmo de jogo aos atletas, entrosar quem está chegando, dar sequência para que na estreia já encarem como final. Serão 38 finais para a permanência na Série B, objetivo do clube depois de tantos anos longe desta competição´´, afirmou Dal Pozzo.

Dos atletas novos que treinam em Caxias do Sul, alguns já trabalharam com o treinador em outras equipes, mas todos nomes foram monitorados e avaliados pela comissão técnica e direção de futebol. A ideia de ter vestiário qualificado, com profissionais adequados ao estilo do Juventude, dita a tônica nas contratações.

``Quando fizemos o trabalho na Chapecoense, onde conquistamos dois acessos inéditos em sequência com poucos acreditando, montamos time compacto, com orçamento baixo e que vestiram a camiseta, confiaram no trabalho e deram respostas em campo. O Juventude está de volta à Série B depois de muito tempo e, no primeiro momento, tem que focar na permanência. Posso dizer que conheço bem a competição, são quase 100 jogos disputados nela, quero poder dar tranquilidade para meu grupo atuar. Por isso a importância de trazer jogadores identificados com o Juventude, com a história, com o grupo, com a torcida que apoia bastante. Seremos uma das menores folhas salariais, jogaremos contra times tradicionais do Sul, Norte e Nordeste, então entendendo desde o início, sabendo que serão 38 finais e pensando jogo a jogo, podemos realizar uma grande Série B´´, finalizou.




Fonte: Aguante

Portuguesa Santista se prepara para duelo decisivo em Olímpia


Após o empate por 1 a 1 no último sábado, no Estádio Ulrico Mursa, na cidade de Santos, Portuguesa Santista e Olímpia voltam a se enfrentar pelas quartas de final do Campeonato Paulista da Terceira Divisão (Série A-3) no domingo (30). A partida será realizada às 10 horas, no Interior.

Em caso de novo empate, a vaga nas semifinais será decidida nas cobranças de pênaltis. Quem vencer, por qualquer resultado, estará classificado.


O atacante Éric Mamer analisa o resultado do primeiro e garante foco total da Portuguesa Santista nos treinamentos da semana.

``É claro que não ficamos satisfeitos com o empate. Lutamos o tempo todo, saímos na frente e poderíamos ter conquistado placar mais dilatado. O gol que sofremos no fim foi grande castigo. Mas a situação está em aberto. Vamos trabalhar forte e a torcida da Briosa pode ter a certeza que o time vai encarar o confronto de domingo como verdadeira decisão´´, afirma o atleta.




Fonte: Tática Assessoria

Sem margem para erros, Regis destaca São Caetano focado pelo acesso ao Paulistão 2018


Com o término da primeira fase da Segunda Divisão (Série A-2) do Campeonato Paulista, o elenco do São Caetano já prega atenção total para a etapa de mata-mata. Pela semifinal, o Azulão terá o Rio Claro como adversário na luta pelo acesso ao Paulistão 2018.   

Para o volante Regis, o time do ABC precisa esquecer das últimas apresentações e acertar detalhes que podem ser cruciais nos embates contra o Galo Azul.

``O que podíamos errar já erramos. Agora é preciso focar no jogo principal, contra o Rio Claro. Teremos partidas difíceis diante de adversário competitivo. Vamos nos preparar para conseguir a vitória logo no confronto de ida´´, afirmou.
São Caetano e Galo Azul definem em dois jogos uma vaga à elite paulista. Por ter feito melhor campanha na primeira fase, ficando atrás apenas do Água Santa, o elenco dirigido por Luís Carlos Martins fará no Anacleto Campanella o último dos dois duelos da semifinal.

1º gol

Apesar do revés (3 a 2) sofrido para o Penapolense, Regis anotou na oportunidade o primeiro gol com a camisa do São Caetano e destacou a sensação que teve.

``Fiquei feliz pelo gol marcado, mas triste por ter acontecido em derrota. Nosso time batalhou bastante durante a partida´´, contou sobre o duelo que o Azulão chegou a estar à frente do placar.

1º jogo da semifinal será disputado no sábado

Foi definido em Conselho Técnico realizado nesta segunda-feira (24/4), na sede da Federação Paulista de Futebol, os dias e horários das partidas das semifinais da Série A-2. O Azulão se classificou na segunda colocação, com 34 pontos, e por isso decidirá o acesso em casa.

O primeiro jogo entre São Caetano e Rio Claro será realizado no sábado (29), às 21 horas, no Estádio Augusto Schmidt Filho. Já o confronto de volta acontece na terça-feira (2/5), às 19h, no estádio Anacleto Campanella.

Em caso de empate nos dois jogos, o finalista será decidido nos pênaltis.





Fonte: assessoria de imprensa do São Caetano

Silas é o novo técnico do Red Bull Brasil


O Red Bull Brasil quer o título da Série D do Campeonato Brasileiro e, para chegar forte na competição, terá comandante com história no futebol. Silas é o novo técnico do Toro Loko. Junto com ele chega Paulo Pereira, seu auxiliar desde que nasceu, afinal, são irmãos gêmeos.

A carreira de Silas dispensa comentários. Nascido em Campinas, apareceu para o mundo como jogador ao lado de Muller e Sidney, nos Menudos do Morumbi. Ganhou um Mundial sub-20 com a Seleção Brasileira de base e também defendeu a principal.

Passou por Sporting, Sampdoria, Internacional, Vasco e outros times de sucesso. Toda essa experiência o ajudou a virar treinador. No banco de reservas, dirigiu Grêmio, Flamengo, times do Qatar e, como último trabalho, o Novorizontino. Agora, chega mais do que pronto para comandar o Toro Loko.

``A gente vem acompanhando os trabalhos e falamos com atletas que já trabalhamos antes, como o Willian Magrão, no Grêmio. Estou feliz pela estrutura que encontrei e pelas portas abertas. O clube oferece projeto e condições de trabalho, tudo o que os técnicos querem. O Red Bull Brasil é sério, que prima pela excelência´´, disse o novo comandante.

A Série D vai começar dia 21 de maio para o Toro Loko, contra o Espírito Santo, fora de casa. O treinador já está estudando a competição e vendo a melhor maneira de conquistar o grande objetivo: o acesso à Série C.

``É campeonato mais curto, a primeira fase tem seis jogos e depois já começam os mata-matas. O Red Bull Brasil se preparou para isso, vamos entrar com humildade e acreditando que vai ser possível´´, completou Silas.





Fonte e foto: assessoria de imprensa do Red Bull Brasil

domingo, 23 de abril de 2017

Bragantino tira Guarani das semifinais da Segunda Divisão do Paulista

Terminou neste domingo (23/4) a 19ª e última rodada da primeira fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão (Série A-2). Dos quatro clubes que estavam no G-4, apenas o São Caetano, já classificado, perdeu em casa por 3 a 2 para o Penapolense, e ficou com a segunda colocação.

O Água Santa (veja mascote ao lado) confirmou a classificação goleando, em casa, o Taubaté por 4 a 1, e roubou a liderança do São Caetano.

``Foi um jogo que desde o início deu certo. Tivemos pênalti logo no começo, em jogada trabalhada e depois disso os gols foram acontecendo. O time jogou bem, buscando o resultado, virando o jogo nas saídas de bola. Tomamos o cuidado nas substituições com atletas com cartão e também para prevenir lesões. O segundo tempo foi mais posse de bola e os dois times arriscaram menos. Mas temos que ter pés no chão para conseguir o verdadeiro objetivo, que é ganhar a competição”, disse o técnico Jorginho, do Água Santa.

O Rio Claro confirmou a terceira colocação vencendo, diante da sua torcida, e de virada, o Sertãozinho por 2 a 1.

A grande surpresa ficou com a quarta vaga. O Bragantino, que estava na quinta posição, fez a sua parte com grande estilo ganhar, de virada, do Votuporanguense por 3 a 1. E ficou com a vaga do Guarani, que era o quarto colocado, e perdeu para o Batatais por 1 a 0.

Com os quatro classificados definidos e os confrontos, em ida e volta, das semifinais

Água Santa (1º colocado) x Bragantino (4º colocado)

São Caetano (2º colocado) x Rio Claro (3º colocado)


Já na parte de baixo da tabela de classificação, União Barbarense, Mogi Mirim, Rio Preto e Capivariano já estavam rebaixados para a Terceira Divisão (Série A-3) com antecedência. Quem escapou nos últimos minutos foi o XV de Piracicaba, que com o apoio da sua torcida superou a Portuguesa, de virada, por 2 a 1. As duas equipes se livraram o descenso.

Os dois últimos que caíram foram Barretos e Velo Clube. As duas equipes se enfrentaram na cidade de Barretos, o time da casa ganhou por 3 a 2, mas ambos foram parar na Terceira Divisão.



Última rodada da primeira fase - 23/4

Batatais 1 (Davi Lopes) x 0 Guarani
Oeste 1 (Mazinho) x Juventus 2 (Júnior Timbó e Johnny)
São Caetano 2 (Régis e Lincom) x Penapolense 3 (Thiago Moura, Leandro Love e Gilvan)
XV de Piracicaba 2 (Carlos Alberto e Rodrigo) x Portuguesa 1 (Luizinho)
Mogi Mirim 1 (Gilmak) x Rio Preto 2 (Jonatas Obina e Wagner)
Rio Claro 2 (Fernandinho e Diego Augusto) x Sertãozinho 1 (Felipe Silva)
Água Santa 4 (Diogo Campos, William, Raphael Toledo e Everton Sena) x Taubaté 1 (Nildo)
Capivariano 6 (Gutierrez, Deco, Anderson Rosa 2, Romarinho e Neto Costa) x União Barbarense 0
Barretos 3 (Diego Araújo 2 e Silvio) x Velo Clube 2 (Flávio Carioca e Leandrinho)
Bragantino 3 (Rafael Chorão, Rafael Grampola e Edson Sitta) x Votuporanguense 1 (Pacheco)

CLASSIFICAÇÃO

1º Água Santa - 35 pontos (classificado)
2º São Caetano - 34 pontos (classificado)
3º Rio Claro - 33 pontos (classificado)
4º Bragantino - 32 pontos (classificado)
5º Batatais - 31 pontos
6º Guarani - 30 pontos
7º Juventus - 30 pontos
8º Sertãozinho - 27 pontos
9º Penapolense - 27 pontos
10º Taubaté - 27 pontos
11º Oeste - 25 pontos
12º XV de Piracicaba - 25 pontos
13º Portuguesa - 23 pontos
14º Votuporanguense - 23 pontos
15º Velo Clube - 23 pontos (rebaixado)
16º Barretos - 23 pontos (rebaixado)
17º Capivariano - 22 pontos (rebaixado)
18º Rio Preto - 19 pontos (rebaixado)
19º Mogi Mirim - 17 pontos (rebaixado)
20º União Barbarense - 13 pontos (rebaixado)

ARTILHEIROS

9 gols

Carlão (São Caetano) e Everton (Taubaté)

8 gols

Robert (Oeste), Leandro Love (Penapolense), Danilo Lopes (Rio Claro), Ermínio (São Caetano), Felipe Silva (Sertãozinho), Caique (Taubaté) e Flávio Carioca (Velo Clube)

7 gols

Daniel Bueno (Rio Claro)

6 gols  

Rafael Grampola (Bragantino), Eliandro (Guarani), Miguel e Edinho (Mogi Mirim), Lincom (São Caetano) e Romarinho (XV de Piracicaba)

5 gols

Elton Luís (Batatais), Adriano Paulista (Bragantino), Francismar (Rio Claro) e Rodrigo e Bruninho (XV de Piracicaba)

4 gols

Raphael Toledo, Robson Duarte e Raí (Água Santa), Ítalo e Flávio Carvalho (Batatais), Bill (Capivariano), Johnny e Júnior Timbó (Juventus), Leandro Domingues e Adilson (Portuguesa), Jonatas Obina e Sávio (Rio Preto), Mateus (Sertãozinho), Cassinho (Taubaté) e Melinho e Gustavo Vinte e Cinco (União Barbarense)

3 gols

William, Romão e Patrick Silva (Água Santa), Edson Sitta e Vitor (Bragantino), Deco (Capivariano), Bruno Nazári, Fumagalli e Braian Samudio (Guarani), Filipe e Judson (Juventus), Formiga e Pretinho (Mogi Mirim), Mazinho e Da Matta (Oeste), Thiago Moura, Fio e Carlinhos (Penapolense), Luizinho e Bruno Silva (Portuguesa), Fernandinho e Odair (Rio Claro), Luiz Fernando e Fagner (Rio Preto), Tiago Tremonti (Taubaté), Leandrinho, Everaldo e Léo Aquino (Velo Clube) e Nathan (Votuporanguense)

2 gols

Diogo Campos (Água Santa), Marlon, Rodrigo Sabiá, Rafael Martins e Tarracha (Barretos), Diego Luís e Medina (Batatais), Rafael Chorão, Guilherme Mattis e Anderson Ligeiro (Bragantino), Romarinho, Anderson Rosa, Neto Costa, Corrêa e Petterson (Capivariano), Uederson (Guarani), Léo Ribeiro, Jorge Mauá e Caihame (Juventus), Felipe Alves (Mogi Mirim), Tatuí e Tiago Adam (Oeste), Gilvan, Pedro Vitor e Juliano (Penapolense), Vinicius Gouveia (Portuguesa), Fernando (Rio Claro), Wagner (Rio Preto), Paulo Vinícius (São Caetano), Tyto, Alemão, Barboza, Leleco e Ronny (Sertãozinho), Nildo (Taubaté), André Luís (Velo Clube), Anderson Magrão, Anderson Cavalo, Paulo Josué e Elvinho (Votuporanguense) e Gilsinho (XV de Piracicaba)

1 gol

Everton Sena, Bruno Smith, Rodrigo Sam, Luizão, Paulo Henrique, Leandro Silva, Danielzinho e Gabriel Duarte (Água Santa), Diego Araújo, Silvio, Lino, Samuel, Marcelo Soares, Tiago Cavalcanti, Chuck e Léo Dantas (Barretos), Davi Lopes, Copetti, Paulinho, Fabrício, Wesley, Tyrone e Davi Xavier (Batatais), Anderson Lessa, Wellington, Bruno Oliveira, Gilberto (Bragantino), Gutierrez, Douglas, Lucas Praxedes, Pablo, Neto Alexandre, Gabriel Taliari, Leandro Silva, Jô e Muller (Capivariano), Lorran, Evandro, Auremir, Genilson, Marcinho, Diego Jussani e Rogério (Guarani), Ricardinho (Juventus), Gilmak, Andrezinho, Régis, Marcelinho, Elielton, Dedé, Ortigoza e Vitinho (Mogi Mirim), Garutti, Erick Luís, Bruno Barra, Lídio e Jean (Oeste), Joilson, Marcos Vinicius, Léo Carvalho, André Cunha, Kesley e Germano (Penapolense), Bruno Duarte e Tarik  (Portuguesa), Diego Augusto, Ciro Solena, Moisés e Rodrigo (Rio Claro), Bruno Nunes, Clayton, Juan Melgarejo, Ednei, Robinho e Lucas Silva (Rio Preto), Régis, Sandoval, Eduardo Luiz, Paulinho Santos, Elias, Ferreira e Magrão (São Caetano), Tiago Elias, Luciano Sorriso e Pereira (Sertãozinho), Léo Aro, Alex Silva e Rychely (Taubaté), Fernandinho, Luís Fernando, Renatinho e Ewerton (União Barbarense), Bernardi, Cristian, Mizael e Adriano Garça (Velo Clube), Pacheco, Douglas, Ualisson Pikachu, William, Paulo Henrique, Marcão e Makanaki (Votuporanguense) e Carlos Alberto, Rafael Gomes, Carlinhos, Bruno Aquino, Barreto e Doni (XV de Piracicaba)

GOLS CONTRA



Prock (União Barbarense, para XV de Piracicaba), Reginaldo (Oeste, para Sertãozinho), Marcelinho (Mogi Mirim, para o Bragantino), Gilberto (Bragantino, para Mogi Mirim), Tyrone (Batatais, para o Rio Claro) e Zeca (Rio Claro, para o União Barbarense)

Mauaense, Manthiqueira e XV de Jaú aplicam goleadas na Quarta Divisão do Paulista

Terminou neste domingo (23/4) a terceira rodada da primeira fase da Quarta Divisão do Campeonato Paulista. A curiosidade foi a não realização da partida entre Diadema e Primavera, que estava marcada para o estádio Distrital do Inamar, na cidade de Diadema, que estava com os portões fechados com cadeado, com os funcionários proibindo que o jogo acontecesse. O caso será julgado pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD).

O Diadema, clube da cidade, alega que a diretoria do Água Santa, o outro clube que utiliza o campo, não permitiu a partida, contrariando a decisão da FPF. O Primavera, da cidade de Indaiatuba, alega que o Diadema não teve culpa e agora aguarda a decisão do Tribunal.

Em campo, três goleadas marcaram a terceira rodada. A maior delas pelo Grupo 4, na cidade de Mauá, onde o Mauaense (veja mascote acima) fez 6 a 0 no Real Cubatense, de Cubatão. Os gols foram marcador por Rodrigo (3), Felipe (2) e Elivélton.

Com a vitória, o Mauense continua com 100% de aproveitamento, ou seja, lidera o Grupo 4 com 9 pontos em três jogos. Na mesma chave, em Mogi das Cruzes, o Manthiqueira (veja o segundo mascote), de Guaratinguetá, triturou o Atlético de Mogi com sonoros 5 a 0, assumindo a vice-liderança com seis pontos.

Já pelo Grupo 2, o XV de Jaú entrou na zona de classificação ao golear o Jaguariuna por 5 a 2. O líder é o Brasilis, de Águas de Lindóia, com 9 pontos, após ganhar do Taquaritinga por 3 a 1, dentro de casa.

Confira os resultados e classificações após a terceira rodada:

Grupo 1

América 1 x 1 Osvaldo Cruz
Presidente Prudente 0 x 0 José Bonifácio
Assisense 0 x 1 VOCEM

Classificação

1º VOCEM - 9 pontos
2º José Bonifácio - 4 pontos
3º Presidente Prudente - 3 pontos
4º América - 2 pontos
Osvaldo Cruz - 2
6º Grêmio Prudente - 1 ponto
Assisense - 1

Grupo 2

Francana 2 x 0 Amparo
XV de Jaú 5 x 2 Jaguariúna
Brasilis 3 x 1 Taquaritinga

Classificação

1º Brasilis - 9 pontos
2º Francana - 6 pontos
Inter de Bebedouro - 6
4º XV de Jaú - 3 pontos
5º Amparo - 1 ponto
Jaguariúna - 1
7º Taquaritinga - 0

Grupo 3

Diadema x Primavera (será julgado pelo TJD)
Guarulhos 2 x 3 Osasco
Elosport 1 x 0 EC São Bernardo
Barcelona 2 x 2 Itararé

Classificação

1º Itararé - 7 pontos
2º Elosport - 6 pontos
EC São Bernardo - 6
4º Primavera - 4 pontos
5º Diadema - 3 pontos
Osasco - 3
7º Guarulhos - 1 ponto
Barcelona - 1

Grupo 4

Atlético Mogi 0 x 5 Manthiqueira
Mauaense 6 x 0 Real Cubatense
Jabaquara 1 x 1 União Mogi

Classificação

1º Mauaense - 9 pontos
2º Manthiqueira - 6 pontos
3º São José - 4 pontos
4º Jabaquara - 3 pontos
5º União Mogi - 1 ponto
Real Cubatense - 1

7º Atlético Mogi - 0

Quatro empates nos jogos de ida das quartas de final da Terceira Divisão do Paulista

Ninguém venceu nas quatro partidas de ida das quartas de final do Campeonato Paulista da Terceira Divisão (Série A-3). Isso mesmo! Foram quatro empates, com ligeira vantagem para as equipes de melhor campanha na primeira fase, que farão o jogo de volta dentro de casa: Olímpia (veja mascote ao lado), Inter de Limeira, Rio Branco e Monte Azul. Porém, novo empate, por qualquer placar, e as vagas nas semifinais serão decididas em cobranças de pênaltis.

Todos os jogos aconteceram no sábado (22/4). Líder na fase inicial, o Olímpia foi até a cidade de Santos, no estádio Ulrico Ursa, e conseguiu o empate somente aos 48 minutos do segundo tempo, gol do artilheiro Naldinho, cobrando pênalti. No primeiro tempo, Lucas Lino havia aberto o placar para a Briosa.

A vice-líder na primeira fase, a Inter de Limeira, jogou na cidade de Porto Feliz, e arrancou empate por 1 a 1 com o Desportivo Brasil. Júlio César, cobrando pênalti, abriu o placar para o time da casa, enquanto Lucas Douglas empatou.

O Rio Branco (veja mascote acima), o terceiro colocado na fase inicial, jogou na Capital, no estádio Nicolau Alayon, a popular Comendador Souza, e ficou no empate sem gols diante do Nacional.

Finalizando a rodada de ida das quartas de final, na cidade de Taboão da Serra, o time da casa empatou por 1 a 1 com o Monte Azul. Boo, para o Taboão, e Luís Guilherme fizeram os gols.

JOGOS DE VOLTA

Sábado (29/4)

10 horas

Monte Azul Taboão da Serra

17 horas

Inter de Limeira x Desportivo Brasil

19 horas


Rio Branco Nacional

Domingo (30/4) -- 10 horas

Olímpia Portuguesa Santista


ARTILHARIA DA TERCEIRA DIVISÃO

10 gols

Léo Castro (Nacional) e Naldinho (Olímpia)

9 gols

Michael (São José FC)

8 gols

Tom (Inter de Limeira) e Fernando (Portuguesa Santista)

7 gols

Robson (Atibaia), Júlio César (Desportivo Brasil), Danilo Pereira (Flamengo) e Lucas Lino e Washington (Portuguesa Santista)

6 gols

Júlio (Rio Branco) e Acosta (Taboão da Serra)

5 gols

Reginaldo (Atibaia), Fabrício (Grêmio Osasco), Wesley (Inter de Limeira), Marcondele (Marília), Elton (Monte Azul), Wallace (Rio Branco), Gustavo Henrique (São Carlos), Renato Peixe (São José FC) e Caio (Taboão da Serra)

4 gols

Naldinho (Comercial), Johnny (Desportivo Brasil), Herbert (Flamengo), Weldon (Independente), João Lucas (Matonense), Matheus Oliveira e Matheus Borges (Monte Azul), Gabriel Barcos (Noroeste) e Renatinho e Robinson (Olímpia)

3 gols

Kadu Barone e Tiago Moura (Comercial), Jorge Eduardo, Wellington e Klauber (Grêmio Osasco), Dodô e Denis (Independente), Lucas Douglas (Inter de Limeira), Boreri, Du Gaia e Felipe André (Marília), Lucas Cezane (Monte Azul), Aguilar (Noroeste), Max Pardalzinho (Olímpia), Ingro (Paulista), Ricardinho (Portuguesa Santista), Carlos Júnior e Bosco (São Carlos), Willians (São José) e Samurai e Teco (Taboão da Serra)

2 gols

Gilsinho e Bruno Leandro (Atibaia), Walker e Renan (Catanduvense), Jairo, Matheus Totô, Mirray e Pablo (Comercial), Anderson e Pio (Desportivo Brasil), Renatinho (Flamengo), Kallyl, Henrique, Bruno Lima e Tiago (Grêmio Osasco), Nivaldo (Independente), Alisson, Calixto e Malconn (Inter de Limeira), Léo Franco e Diego Salles (Marília), Everton Tiziu e Jean Pierre (Matonense), Luís Guilherme, Carlinhos, Marcelinho e Danilo Medeiros (Monte Azul), Luciano, Jobson e Bruninho (Nacional), Maicon Douglas, Rael, Citta Júnior, Henrique e Vilson (Noroeste), Rogério Maranhão e Paulo Brumatti (Olímpia), Adelino, Vecchio, William Dias e Guilherme (Paulista), Bruno, Wellington e Bismark (Rio Branco) e Bruno Soares, João Gledson e Bruno Donizeti (São José FC)

1 gol

Robinho, Richard e Samuel (Atibaia), Caio, Dener, Juan, Daniel Simões, Luciano e Cleber (Catanduvense), Abuda e Thiagão (Comercial), Felipe Merlo, Ederson, Luiz Henrique, Léo Prado e Cabelo (Desportivo Brasil), Luciano Gigante, Antônio Flávio, Rafael Piauí e Kairon (Flamengo), Danrley Marreta, Chaveirinho, Castro, Maurício e Marli (Grêmio Osasco), Gabriel Lima, Fumaça, Felipe Piá e Jefferson (Independente), Nikão, Jhonathan, Léo Souza, Carlão e Eder Paulista (Inter de Limeira), Agenor (Marília), Alcides, Renato, Rafael Magalhães, Geovane, Ítalo, Ruster, Kamikaze, Ademir, Denner e Zé Marcelo (Matonense), Trevizan, David Dener e Gilmar (Monte Azul), Everton, Emerson Mi, Thiaguinho, Jefferson, Murilo e Luiz Henrique (Nacional), Rodolfo, Fernandinho, Diego Iatecolla e Juninho (Noroeste), Hugo, Cláudio Bala, Jougle, Willian, Malcon, Robson, Thiago Santos e Vinicius Leite (Olímpia), Rodolfo, Jailton, Eusébio, Gut, Douglas, Fabão e Viella (Paulista), Kim, Salinas, Luiz Gueguel e Iran (Portuguesa Santista), Thiaguinho, Vitor Hugo, Jonathan Bispo, Miranda, Vitor Gava e Diogo (Rio Branco), Júlio Alves, Marcus Vinicius, Testoni, Rossini e Mauro Victor (São Carlos), Maicon, Eduardo, Pará, Dalmo, Matheus Teixeira e Amauri (São José FC) e Boo, André Luís, Carlos Chaba e Willian (Taboão da Serra)

GOLS CONTRA:

Mineiro (Catanduvense, para o Flamengo), Kallyl (Grêmio Osasco, para o Desportivo Brasil), Jefferson (Nacional, para o Taboão da Serra) e Eduardo (São José FC para Grêmio Osasco) 

A Ponte Preta vem sendo gigante! Os torcedores cada vez mais intolerantes

A Ponte Preta, mais uma vez, está próxima de conquistar o seu primeiro título na Primeira Divisão. A Macaca, fundada em 1900, bateu na trave inúmeras vezes. Mas ficou sempre no vice. E agora em 2017, após superar Santos (quartas) e Palmeiras (semifinais), vai disputar o título do Paulistão com equipe técnica, competitiva e com a inteligência do técnico Gilson Kleina.

Mas a derrota para o Palmeiras por 1 a 0, sábado (22/4), fora de casa, merece reflexão profunda de todos os jogadores e comissão técnica na Ponte Preta. A defesa continua sólida, com Marllon (suspenso no primeiro jogo da final) e Yago (emprestado pelo Corinthians). Os prováveis retornos dos laterais Nino Paraíba e Reynaldo deixam a torcida animada.


Os volantes Fernando Bob, jogando muito, e Elton, recuperando a boa forma, são esperanças de grande futebol. O artilheiro Pottker tem tudo para ser o craque do campeonato, enquanto Lucca, reencontrando o bom futebol, e Clayson, jovem promessa, são opções interessantes para velocidade, contra-ataques e gols.

Só que a Ponte Preta vai precisar ser insinuante fora de casa na final. As derrotas para Santos e Palmeiras precisam servir de alerta. Contra o Peixe, no Pacaembu, o 1 a 0 levou para as cobranças de pênaltis, onde a Macaca foi mais competente e se classificou.

Já diante do Palmeiras o primeiro tempo foi preocupante. A Ponte Preta teve uma única oportunidade de gol, em chute perigoso de Pottker. Nenhuma jogada em velocidade com Lucca e Clayson. Os laterais se limitaram a marcar. O meio-campo marcou e não criou. Não foi sequer esboço da Macaca atrevida que havia atropelado o Verdão com vitória arrasadora por 3 a 0, no Moisés Lucarelli, em Campinas.


É claro que a expressiva vitória por 3 a 0 deixou a Ponte Preta excessivamente tranquila. Ninguém apostaria que a Ponte Preta seria ofensiva. Mas ao fincar os pés na defesa e apostar somente na força de marcação, o Palmeiras cresceu e criou sete boas oportunidades de gol apenas no primeiro tempo. Sorte que a eficiência do goleiro Aranha, e a falta de pontaria do Verdão, acabaram ajudando a Macaca.

Na etapa final, o Palmeiras seguiu em cima, mas fez 1 a 0 muito tarde. E a postura da Ponte Preta foi a mesma. É verdade que deu resultado. A equipe comandada pelo técnico Gilson Kleina chegou a grande decisão do Paulistão, o que foi extremamente importante. Mas é possível notar que vai precisar de algo a mais, ou algo que já faz dentro de casa, para ficar com o inédito título e sair do jejum. Ou vai bater na trave outra vez.

Por enquanto, mesmo sem a eficiência que pode e deve jogar fora de casa, a Ponte Preta é merecidamente a finalista do Paulistão 2017. Mas para quebrar o tabu e ser campeão pela primeira vez, todo mundo espera algo a mais da Macaca. Não no Moisés Lucarelli, onde o futebol tem agradado. Mas, fundamentalmente, fora de casa, onde a equipe, que pode jogar muito mais, foi econômica no jogo ofensivo.


EM TEMPO:

Está cada vez mais difícil um diálogo com os torcedores pelas mídias sociais. A irracionalidade, as palavras chulas, as ofensas por você ter opiniões diferentes acabam nos tornando, na imprensa esportiva, pessoas que não estão nem aí para o seu público..

Na vitória da Ponte Preta por 3 a 0, entendi que o Pottker sofreu pênalti do Fernando Prass, e o Mina meteu a mão na bola dentro da área. Na minha interpretação, claro, aconteceram dois pênaltis a favor da Macaca, que poderia ter vencido com mais tranquilidade.

Minha análise foi detonada por palmeirenses. Me chamaram de corintiano, fanático por time pequeno, doente e até que era minha inveja pelo sucesso do Verdão, dentro e fora de casa. Que o meu futuro no jornalismo era fazer jogos da Ponte Preta, que o Palmeiras era muito gigante para a minha capacidade.

Veio o jogo na Arena do Palmeiras, critiquei a postura, que considerei excessivamente defensiva da Ponte, e que para ser campeão a equipe terá de ser muito mais ousada fora de casa. Embora difícil, reconheço, e com o recurso da TV, entendi que houve dois pênaltis a favor do Palmeiras. Foi o que bastou para a torcida da Macaca virar o jogo

E as críticas e ofensas mudaram. Os palmeirenses concordaram comigo. E alguns finalmente falararam que eu estava aprendendo a trabalhar com clube grande. Já a torcida da Ponte, além de são-paulinos, corintianos e santistas, todos torcendo pela Macaca, me detonaram. Para eles eu sou um palmeirense fanático e frustrado. Detesto clubes do Interior. Não valorizo o trabalho dos pequenos e médios clubes. Até ameaças de agressão física eu recebi. Tudo por omitir opiniões.


Não basta ver e rever a imagem e ter opinião formada. Igual ou contrária a minha, o que é absolutamente normal. É preciso ser inconveniente, irracional, intolerante, agressivo e ofensivo!

A Ponte Preta está cada vez mais gigante. Mas grande parte da torcida, infelizmente, cada vez mais estúpida. E as mídias sociais, infelizmente, estão dando voz a um monte de imbecis. O caminho? Bloquear e acabar se afastando de gente assim! Uma pena! 

sábado, 22 de abril de 2017

Inter empata com Desportivo Brasil em Porto Feliz e decide vaga em Limeira

A Internacional de Limeira (veja mascote ao lado) deixou a sua torcida animada na manhã deste sábado (22/4). Depois de realizar a segunda melhor campanha na primeira fase da Terceira Divisão (Série A-3) do Campeonato Paulista, sendo superada apenas pelo Olímpia, a equipe comandada pelo técnico João Valim foi até a cidade de Porto Feliz e arrancou empate por 1 a 1 com o Desportivo Brasil, do técnico Caio Zanardi, no jogo de ida das quartas de final.

Agora, no próximo sábado (29), às 17 horas, no Estádio Major Levy Sobrinho, na cidade de Limeira, a Inter espera contar com o apoio da sua torcida para correr atrás da vaga nas semifinais, de olho nas duas vagas de acesso à Segunda Divisão (Série A-2) em 2018. Novo empate leva a decisão para cobranças de pênaltis. O Desportivo Brasil também se classifica com vitória por qualquer resultado.

Neste sábado, o Desportivo Brasil partiu para cima da Inter logo no início do jogo e não demorou para abrir o placar, aos 11 minutos, quando 
Luiz Guilherme foi parado com falta pelo goleiro Rafael. Pênallti, que Júlio César fez 1 a 0.

Enquanto a Inter teve dificuldade para criar, o Desportivo Brasil não conseguiu manter o ritmo inicial e o jogo ficou equilibrado, sem grandes chances de gol. No máximo, dos dois lados, alguns chutes perigosos de longa distância.

Na etapa final, o Desportivo Brasil seguiu tocando a bola, sem pressa para tentar o segundo gol. A Inter percebeu que o adversário estava satisfeito com o placar mínimo que lhe era favorável, adiantou sua marcação e passou a ousar nos contra-ataques .


Como as tabelas e cruzamentos não surtiam efeito, aos 24 minutos, Lucas Douglas resolveu tentar a jogada individual. E fez belo gol para Inter!. Ele levou a melhor em disputa de bola, carregou e soltou um torpedo da entrada da área: 1 a 1.

Só com o gol de empate que o 
Desportivo Brasil resolveu partir para cima. E o jogo ficou aberto, emocionante, com a Inter explorando bem os contra-golpes. Mas o resultado final acabou ficando no 1 a 1.

FICHA TÉCNICA

Desportivo Brasil 1 x 1 Inter de LimeiraQuartas de Final da Terceira Divisão (Série A-3) - Jogo de IdaLocal: Ernesto Rocco, em Porto Feliz
Árbitro: Cleber Luis Paulino, auxiliado por Paulo Amaral e Jose Lucas Candido
Renda: R$ 9.115,00 - Público: 3.015
Gols: Júlio César, aos 11 minutos do primeiro tempo. Lucas Douglas, aos 24 minutos do segundo tempo

Desportivo Brasil
Gilberto; Diego, Glauco, Rodrigo Paganelli e Anderson Luís; Deda, Luiz Guilherme, Felipe Merlo (Ederson) e Pio (Léo Prado); Julio César e Chico (Johnny)
Técnico: Caio Zanardi

Inter de Limeira
Rafael Pin; Vinícius Pedalada, Carlão (Jean), Nikão e Calixto; Marquinho, Teco e André Mocóca (Evandro); Tom, Lucas Douglas e Wesley. (Éder Paulista)
Técnico: João Valim

ARTILHARIA DA TERCEIRA DIVISÃO

10 gols

Léo Castro (Nacional)

9 gols

Naldinho (Olímpia) e Michael (São José FC)

8 gols

Tom (Inter de Limeira) e Fernando (Portuguesa Santista)

7 gols

Robson (Atibaia), Júlio César (Desportivo Brasil), Danilo Pereira (Flamengo) e Washington (Portuguesa Santista)

6 gols

Lucas Lino (Portuguesa Santista), Júlio (Rio Branco) e Acosta (Taboão da Serra)

5 gols

Reginaldo (Atibaia), Fabrício (Grêmio Osasco), Wesley (Inter de Limeira), Marcondele (Marília), Elton (Monte Azul), Wallace (Rio Branco), Gustavo Henrique (São Carlos), Renato Peixe (São José FC) e Caio (Taboão da Serra)

4 gols

Naldinho (Comercial), Johnny (Desportivo Brasil), Herbert (Flamengo), Weldon (Independente), João Lucas (Matonense), Matheus Oliveira e Matheus Borges (Monte Azul), Gabriel Barcos (Noroeste) e Renatinho e Robinson (Olímpia)

3 gols

Kadu Barone e Tiago Moura (Comercial), Jorge Eduardo, Wellington e Klauber (Grêmio Osasco), Dodô e Denis (Independente), Lucas Douglas (Inter de Limeira), Boreri, Du Gaia e Felipe André (Marília), Lucas Cezane (Monte Azul), Aguilar (Noroeste), Max Pardalzinho (Olímpia), Ingro (Paulista), Ricardinho (Portuguesa Santista), Carlos Júnior e Bosco (São Carlos), Willians (São José) e Samurai e Teco (Taboão da Serra)

2 gols

Gilsinho e Bruno Leandro (Atibaia), Walker e Renan (Catanduvense), Jairo, Matheus Totô, Mirray e Pablo (Comercial), Anderson e Pio (Desportivo Brasil), Renatinho (Flamengo), Kallyl, Henrique, Bruno Lima e Tiago (Grêmio Osasco), Nivaldo (Independente), Alisson, Calixto e Malconn (Inter de Limeira), Léo Franco e Diego Salles (Marília), Everton Tiziu e Jean Pierre (Matonense), Carlinhos, Marcelinho e Danilo Medeiros (Monte Azul), Luciano, Jobson e Bruninho (Nacional), Maicon Douglas, Rael, Citta Júnior, Henrique e Vilson (Noroeste), Rogério Maranhão e Paulo Brumatti (Olímpia), Adelino, Vecchio, William Dias e Guilherme (Paulista), Bruno, Wellington e Bismark (Rio Branco) e Bruno Soares, João Gledson e Bruno Donizeti (São José FC)

1 gol

Robinho, Richard e Samuel (Atibaia), Caio, Dener, Juan, Daniel Simões, Luciano e Cleber (Catanduvense), Abuda e Thiagão (Comercial), Felipe Merlo, Ederson, Luiz Henrique, Léo Prado e Cabelo (Desportivo Brasil), Luciano Gigante, Antônio Flávio, Rafael Piauí e Kairon (Flamengo), Danrley Marreta, Chaveirinho, Castro, Maurício e Marli (Grêmio Osasco), Gabriel Lima, Fumaça, Felipe Piá e Jefferson (Independente), Nikão, Jhonathan, Léo Souza, Carlão e Eder Paulista (Inter de Limeira), Agenor (Marília), Alcides, Renato, Rafael Magalhães, Geovane, Ítalo, Ruster, Kamikaze, Ademir, Denner e Zé Marcelo (Matonense), Trevizan, Luís Guilherme, David Dener e Gilmar (Monte Azul), Everton, Emerson Mi, Thiaguinho, Jefferson, Murilo e Luiz Henrique (Nacional), Rodolfo, Fernandinho, Diego Iatecolla e Juninho (Noroeste), Hugo, Cláudio Bala, Jougle, Willian, Malcon, Robson, Thiago Santos e Vinicius Leite (Olímpia), Rodolfo, Jailton, Eusébio, Gut, Douglas, Fabão e Viella (Paulista), Kim, Salinas, Luiz Gueguel e Iran (Portuguesa Santista), Thiaguinho, Vitor Hugo, Jonathan Bispo, Miranda, Vitor Gava e Diogo (Rio Branco), Júlio Alves, Marcus Vinicius, Testoni, Rossini e Mauro Victor (São Carlos), Maicon, Eduardo, Pará, Dalmo, Matheus Teixeira e Amauri (São José FC) e André Luís, Carlos Chaba e Willian (Taboão da Serra)

GOLS CONTRA:



Mineiro (Catanduvense, para o Flamengo), Kallyl (Grêmio Osasco, para o Desportivo Brasil), Jefferson (Nacional, para o Taboão da Serra) e Eduardo (São José FC para Grêmio Osasco) 

Pela Segunda Divisão do Paulista, Barretos se apoia em tabu na decisão contra o Velo Clube


Na luta pela permanência na Segunda Divisão (Série A-2) do Campeonato Paulista, o Barretos (veja mascote acima) recebe o Velo Clube neste domingo (23/4), às 16 horas, no estádio Fortaleza, pela 19ª e última rodada da primeira fase da competição. Na rodada passada, o Touro do Vale perdeu, fora de casa, para o Guarani por 1 a 0, enquanto o time rioclarense venceu, em casa, o Água Santa por 2 a 1.

A situação do time barretense é muito complicada. O BEC aparece dentro da zona de rebaixamento, na 16ª posição, com 20 pontos, com saldo de gols negativo de menos sete. Para escapar da degola, o Touro precisara vencer o adversário por diferença de três gols e ainda torcer para que o XV não vença a Portuguesa, em Piracicaba.

Se vencer e não golear, além de torcer contra o XV, o Barretos também precisara que o Bragantino massacre o Votuporanguense, em Bragança Paulista. O time de Votuporanga é o 14º colocado com 23 pontos, com saldo de gols negativo de menos um.

Para piorar as coisas, o adversário do Touro neste domingo é concorrente direto na luta contra o rebaixamento. O Velo é o primeiro time fora do Z-6. O Galo Vermelho aparece na 14ª posição, com 23 pontos, e saldo de gols negativo de menos três. Com uma vitória simples, a equipe de Rio Claro evita a queda sem depender de nenhum resultado.

Tabu

Como incentivo maior para esta decisão, o Touro se apoia no retrospecto de jogos contra o Velo. Na história, o Barretos jamais perdeu, em casa, para o rival rioclarense. Dos 14 confrontos como mandante, o BEC venceu o Galo Vermelho em 13 vezes e empatou um.





Fonte: Luiz Carlos Éden - Sorocaba (SP)

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Carlão troca artilharia pelo título da Segunda Divisão com a camisa do São Caetano

Com o gol marcado na rodada passada, na derrota do São Caetano (veja mascote ao lado) por 3 a 2 diante do Taubaté, o atacante Carlão soma agora nove na Segunda Divisão (Série A-2) do Campeonato Paulista. Números que o deixa na artilharia da competição, ao lado de Danilo, do Rio Claro, e à frente do companheiro Ermínio, que balançou as redes em oito oportunidades com a camisa do Azulão.
 

Apesar do momento goleador, o ex-jogador do Partizani (Albânia) estabelece o acesso do São Caetano como sua principal meta nesta edição da Segunda Divisão.

``Fico feliz pelo momento. Sei da dificuldade que existe na Série A-2, campeonato muito disputado. Mas fico ainda mais contente pela campanha realizada pela nossa equipe. Quero subir com o clube e ser artilheiro, porém, a artilharia coloco em segundo plano´´, explicou Carlão.

Revelado pelo Paulista, o popular Galo da Japi, Carlão teve passagens de destaque, antes de desembarcar no Anacleto Campanella, por equipes como Paraná e Botafogo, de Ribeirão Preto. Atuando no Pantera em 2014, o atacante foi o segundo principal goleador da Copa Paulista.

Primeiro time classificado ao mata-mata da Série A-2, o São Caetano já planeja a participação na etapa seguinte do campeonato. Para se sair bem na semifinal, o artilheiro da competição destacou o trabalho desenvolvido fora das quatro linhas como um dos trunfos do Azulão.

``Quando cheguei todos disseram que a preparação deste ano foi diferente em relação aos anteriores. As contratações também foram pontuais e grande parte do grupo foi mantido. Isso ajuda bastante. O acesso bateu na trave nas temporadas passadas, mas agora estamos totalmente preparados. Teremos respeito pelo nosso adversário na semifinal, contudo, vamos lutar para subir´´, afirmou Carlão.

Antes do mata-mata em que estará em disputa duas vagas no Paulistão de 2018, o Azulão ainda tem o último jogo pela primeira fase da Segunda Divisão. O rival será o Penapolense, neste domingo (23/4), às 16 horas, no estádio Anacleto Campanella, na cidade de São Caetano do Sul.





Fonte: assessoria de imprensa do São Caetano 

Velo Clube busca vitória inédita, fora de casa, contra Barretos


Na luta contra a degola, o Velo Clube, da cidade de Rio Claro, encara o desesperado Barretos no domingo (23/4), às 16 horas, no estádio Fortaleza, na cidade de Barretos, pela 19ª e última rodada da primeira fase da Segunda Divisão (Série A-2) do Campeonato Paulista. Quem perder será rebaixado à Terceira Divisão (Série A-3).

Na rodada passada, o Galo Vermelho venceu, em casa, o vice-líder Água Santa por 2 a 1, enquanto o time barretense perdeu, fora de casa, para o Guarani, quarto colocado, por 1 a 0.

O Velo Clube é o primeiro clube fora do Z-6 (zona do rebaixamento). O clube da cidade de Rio Claro aparece na 14ª posição da tabela de classificação, com 23 pontos e saldo de gols negativo de menos três.
 

Já a situação do adversário é mais complicada. O Barretos aparece dentro da zona de rebaixamento, na 16ª posição, com 20 pontos, com saldo de gols negativo de menos sete.

Para evitar a queda sem ter que depender de nenhum outro resultado, a equipe rioclarense busca vitória inédita diante do Touro na Capital Nacional do Rodeio.

Na história, o Galo Vermelho jamais venceu o Barretos fora de casa. De 14 confrontos que fez como visitante, o Velo empatou apenas um e saiu derrotado em 13 oportunidades.

No último encontro entre os rivais, houve empate sem gols, no estádio Fortaleza, em Barretos, pela 15ª rodada da Segunda Divisão (Série A-2) do ano passado. Naquela oportunidade, as duas equipes se encontravam em situações melhores e brigavam por vaga à elite do estadual.





Fonte: Luiz Carlos Éden - Sorocaba (SP)

Ituano vence Santo André e sai na frente pelo título do Interior

O fator caso foi decisivo no primeiro duelo pelo título do Troféu do Interior, que vale R$ 360 mil ao campeão, além da vaga na Copa do Brasil de 2018. O vice-campeão será premiado com R$ 100 mil. Nesta sexta-feira, feriado (21/4), no estádio Novelli Júnior, em Itu, o Ituano venceu o Santo André por 1 a 0, e garantiu o direito de jogar pelo empate na partida de volta. Ronaldo fez o gol.

A partida de volta acontecerá na próxima sexta-feira (28), às 21 horas, no estádio Bruno José Daniel, quando o Santo André terá de vencer o Ituano por dois gols de diferença para conquistar o caneco. Vitória por um gol de diferença levará a decisão para as cobranças de pênaltis. O SporTV transmitirá ao vivo, para todo Brasil, a grande decisão.

O primeiro tempo foi morno em Itu. A marcação forte predominou. O Ituano, jogando para pouco mais de três mil torcedores, partiu para cima do Santo André. Mas teve dificuldades para criar e finalizar.

O Ramalhão encurralou o Galo de Itu nos 10 minutos finais da etapa inicial. Chegou com perigo e exigiu boas defesas do goleiro Fábio, que foi para o vestiário aplaudido pela sua torcida. Em especial no chute do artilheiro Henan, que ainda acertou a trave no rebote.


Na etapa final, o Ituano voltou novamente em cima do Santo André. E chegou aos gol logo aos três minutos. Após boa jogada de Rodrigo Celeste, o goleiro Roberto espalmou e Ronaldo fez 1 a 0.

Na base do tudo ou nada, o
 Santo André correu atrás do empate. Sempre com o atacante Henan, que novamente paro no goleiro Fábio. O jogo ficou aberto, bem disputado, mas ninguém conseguiu marcar.

FICHA TÉCNICA

Ituano 1 x Santo André
Jogo de ida - Final do Troféu do Interior

Local: Estádio Novelli Júnior, em Itu
Árbitro: Alessandro Darcie, auxiliado por Fabio Rogerio Baesteiro e Enderson Turbiani da Silva
Renda: R$ 27.180,00 - Público: 3.063 pagantes
Gol: Ronaldo, aos três minutos do segundo tempo

ITUANO
Fábio; Edson, Naylhor, Lima e Peri; Rodrigo Celeste, Walfrido (Dener, depois Renan), Lucas Crispim e Bassani; Claudinho (Baralhas) e Ronaldo
Técnico: Roque Júnior

SANTO ANDRÉ
Roberto; Cicinho, Diogo Borges, Leonardo e Gilberto Jesus; Renato, Dudu Vieira, Serginho (Diogo Orlando) e Guilherme Garré (David Ribeiro); Claudinho e Henan
Técnico: Sérgio Soares

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Sérgio Soares quer deixar o Santo André com o título do Troféu do Interior


Após garantir a permanência na elite paulista, o Santo André agora está na decisão do Troféu do Interior contra o Ituano. Os dois jogos decisivos serão os últimos do técnico Sérgio Soares, que depois assumirá o comando do Goiás. Por isso, ele quer deixar o Ramalhão com o caneco nas mãos e a vaga assegurada na Copa do Brasil de 2018, além de o clube embolsar R$ 360 mil pagos ao campeão pela FPF.

Nesta curta disputa, entre os times que não conseguiram se classificar para as fases finais do Paulistão e não foram rebaixados, o Ramalhão tem a melhor campanha com dois empates e uma vitória. Resultados que classificaram a equipe para a final do torneio e o fará ter a vantagem de fazer a segunda partida dentro de casa, com apoio da torcida.

O confronto entre Santo André e Ituano já ocorreu duas vezes nesse ano, uma pela fase inicial do Paulista (jogo disputado em Santo André) e outro já pelo Troféu do Interior (partida realizada em Itu). E os resultados foram os mesmos: 1 X 1.

A primeira partida da final será no feriado desta sexta-feira (21/4), às 16 horas, no Estádio Novelli Júnior, em Itu. E a grande decisão no estádio Bruno José Daniel, sexta-feira (28), às 21 horas.





Fonte: assessoria de imprensa do Santo André

Sem Morato e Igor, negociados, Ituano inicia luta pelo título do Troféu do Interior


O Ituano inicia nesta sexta-feira (21/4), às 16 horas, no estádio Novelli Júnior, a decisão do Torneio do Interior contra o Santo André. Independente da perda de alguns atletas como Igor e Morato, o time está focado na conquista do título e da vaga para a Copa do Brasil de 2018. O caneco também vale R$ 360 mil pagos pela FPF.

``Temos dificuldade grande. Enquanto não sairmos da Série D vamos conviver com problemas. Ao término do Paulista são jogadores saindo, recebendo ofertas. Com alguns temos contrato só até o final da competição. Mesmo querendo é difícil segurar. Como foi com o Morato e o São Paulo. É exigência dos clubes de Série A que o jogador saia no momento da concretização do negócio. Temos que ter elenco competitivo e por isso estamos na final do Interior´´, explica o gestor Juninho Paulista

O outro problema são as lesões e suspensões, que impedem o técnico Roque Júnior de antecipar a escalação.

``Alguns ficarão fora por questão de lesão, outros por conta de cartão. Alguns podem voltar e outros não. Não queremos antecipar nada para evitar problemas. Mas até o dia do jogo saberei quem realmente estará à disposição para jogar´´, disse Roque Júnior.


Esta situação dá oportunidade a jovens formados na base jogarem no profissional. No último sábado, o volante Baralhas fez sua estreia. Ele chegou no sub 15 em 2013 e disputou as últimas duas Copas São Paulo.

``Deu frio na barriga por ser minha estreia. Mas os meus companheiros me passaram muita confiança e eu pude fazer o meu trabelho bem. A comissão técnica também me passou confiança e quero agradecer muito a oportunidade que eles me deram´´, afirmou o jovem de 18 anos.

``A filosofia do clube é revelar jogadores. Temos vários da base e para alguns é a primeira decisão no profissional. Claro que pesa um pouco. Mas nos reunimos para que toda a responsabilidade que acontecer, nós os mais velhos assumiremos. Para eles ficarem mais tranquilos e jogar leve. Principalmente a concentração, ter calma e tranquilidade para jogar´´, afirmou o capitão Naylhor, há dois anos e meio no clube.

Naylhor, inclusive, jogou as últimas decisões pelo Iruano e na boa campanha na Copa do Brasil de 2015, onde chegou às oitavas de final. Ainda em 2015, disputou a final da Copa Paulista e, no ano passado, teve a disputa pelo acesso contra o CSA.

``Espero que agora seja um final feliz. A gente já vem desde 2015 passando por várias decisões, tendo que passar de fase da Copa do Brasil e próximo da classificação. Espero coroar essa trajetória com o título, fazendo excelente partida. Não só no jogo de sexta-feira, mas no próximo também para fechar com título que será muito importante para o clube e para mim´´, frisou Naylhor, que tem 70 jogos pelo Ituano.

Roque Júnior faz um alerta em relação ao título do Troféu do Interior.

``A decisão é um jogo de 180 minutos. É claro que tem a questão  de jogar em casa, mas também não podemos sair e querer fazer o resultado a qualquer maneira. O Santo André tem equipe boa. Temos que estar muito consciente do que a gente quer fazer na partida. Ganhando e tendo resultado positivo nos ajuda, mas não nos dá o título. Temos que usar bem esta questão da estratégia. Consciente, usando este fator casa para conseguir o resultado. Para a gente é importante sair com a vitória, mas consciente daquilo que temos que fazer nos dois jogos´´, ensinou.







Fonte: assessoria de imprensa do Ituano