segunda-feira, 12 de maio de 2014

Mogi Mirim lidera Série C, mas Rivaldo ameaça fechar o clube

O Mogi Mirim tropeçou dentro de casa no último domingo (11/5) ao empatar por 1 a 1 com o Madureira-RJ. Mesmo assim, a equipe paulista segue liderando o Grupo 2 do Campeonato Brasileiro da Série C, com sete pontos, ao lado do Juventude-RS, mas com vantagem nos critérios de desempate.

Apesar da invencibilidade após três rodadas, além da liderança, o pentacampeão Rivaldo surpreendeu ao dizer que pode deixar o Mogi Mirim no início de junho caso não encontre um investidor para a equipe. Ele afirmou que poderá renunciar ao cargo de presidente e encerrar as atividades do clube, que abandonaria a Série C do Brasileiro no meio da competição.

Abatido e afirmado que seu estado de espírito não era pelo resultado dentro de campo, mas pela falta de apoio que o clube vem recebendo de empresários e políticos, Rivaldo afirmou que não pode mais seguir sozinho com os investimentos no clube e que precisa de alguém para ajudá-lo.

``Todo mundo que me procura quer tirar foto comigo e sair nos jornais ao meu lado. Alguns dizem que vão me ajudar, mas que precisam de um projeto e que é preciso esperar um tempo. Eu não tenho mais este tempo para esperar. O Mogi Mirim não tem este tempo para esperar. Preciso de alguém sério, que esteja disposto a investir no clube. Tem gente que usa as redes sociais e diz que estou menosprezando o produto Mogi Mirim. Não é verdade. Tem muita gente que diz que está preocupado com o futuro do Mogi Mirim, mas não passa de hipocrisia, pois mesmo com o ingresso custando R$ 5,00, tem muitos que vem pedir ingresso para entrar no jogo. Isso estar preocupado com o futuro do Mogi Mirim?´´, disse Rivaldo.

Rivaldo contou que tem conversado com o prefeito Gustavo Stupp e alguns de seus diretores, mas não acredita que algo possa ser feito em breve.

``Sei que as pessoas não tem obrigação de investir no Mogi. Mas esse clube que tem história e divulga o nome da cidade. Não pode ser fechado por falta de apoio da cidade, mas não posso mais colocar dinheiro do meu bolso´´, argumentou o presidente do Sapo.

O ex-jogador e agora apenas dirigente do Mogi Mirim voltou a afirmar que vai esperar até 1º de junho, que é a data que o Mogi Mirim disputa a última partida pela Série C do Brasileiro antes da parada de 50 dias para a disputa da Copa do Mundo. Se não surgir parceiros, ele pretende zerar as dívidas e entregar o clube em perfeita ordem financeira para quem quiser assumir.

``Temos, entre funcionários e jogadores, mais de 100 profissionais que trabalham no clube. Vou rescindir com todos. Não deixarei ninguém na mão. Os jogadores vou empregar. E os funcionários receberão todos os seus direitos trabalhistas. Honrarei os compromissos com todos. O que não posso fazer é querer manter o Mogi Mirim sozinho. Estou tomando esta decisão com dor no coração. Sei que tem muita gente que vai me criticar. Mas não posso continuar como está´´, concluiu.




Fonte: assessoria de imprensa do Mogi Mirim

Um comentário:

Unknown disse...

Acho certa a decisao do Rivaldo. Paga tudo fecha e quem tiver condicoes que assuma.