segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Centro de Treinamentos da Ponte Preta será na cidade de Sumaré, enquanto a Arena vai sair do papel em breve

Está definido! O novo Centro de Treinamento da Ponte Preta, ou melhor, o Centro de Formação de Atletas (CFA) será na cidade de Sumaré, interior de São Paulo. “Aquela cidade nos ofereceu as melhores condições em termos de terreno e, inclusive, foi a única entre as interessadas que efetivamente providenciou toda a documentação necessária para doação da área em tempo hábil”, contou o presidente pontepretano Sérgio Carnielli.

O dirigente revela que até o dia 15 de outubro toda a documentação do CFA, que tem como objetivo possibilitar a inclusão do centro no programa de Lei de Incentivo ao Esporte, deverá estar pronta e assinada pelos órgãos responsáveis do Governo Federal.

- A Ponte Preta é um dos únicos três clubes do estado que pode encaixar seus projetos nesta lei, pois não tem débitos com as esferas públicas, e pelas conversas que tivemos com o ministro (dos esportes) Orlando Silva tudo estará assinado no dia 15. Com isso, o CFA sairá totalmente de graça para o clube, já que o terreno foi doado e as verbas para construção serão doadas por empresas que as abaterão de seus impostos - pontuou Carnielli.

O terreno em Sumaré onde será construído o CFA tem 80 mil metros quadrados e o complexo – que inclui cinco campos de futebol, alojamentos – deverá começar a ser construído no primeiro semestre de 2010.

- O local tem fácil acesso às rodovias, o que possibilita movimentação rápida entre CFA e a nova Arena, que fica às margens da Anhanguera. Mas o principal de tudo é que terá uma infraestrutura moderna e adequada às necessidades de um time que quer e pode crescer muito no futebol. Vale lembrar ainda que teremos a consultoria do José Carlos Brunoro também na implementação do CFA. O trabalho que ele fez com o CT do Pão de Açúcar foi ótimo e aqui esperamos algo ainda melhor - completou o presidente da Macaca.

O novo CFA:

TREINAMENTO:

- 5 campos de futebol
- 1 local de paredão para treinamento de fundamento
- 1 piscina coberta para recuperação e relaxamento
- 1 sala de musculação/fisioterapia – profissional e juniores
- 1 sala de musculação/fisioterapia – categoria de base
- Departamento médico

APOIO:

- 1 vestiário profissional
- 1 vestiário juniores/time visitante
- 2 vestiários para as categorias de base
- 1 vestiário para técnicos profissionais/juniores
- 1 vestiário para técnicos categorias de base
- 1 vestiário juízes
- 1 cozinha central com refeitórios segmentados

ALOJAMENTOS:

- 1 suíte para técnicos
- Dormitórios com 4 camas (2 beliches) cada para amadores
- Vestiários para o alojamento
- 1 suíte com 2 camas para visitantes (técnicos)

ADMINISTRAÇÃO:

- Área administrativa (inclusive para reuniões)
- Sala para projeções e entrevistas (2 salas)
- Sala para imprensa

OUTRAS ÁREAS DE APOIO:

- Cabine elétrica
- Copa e vestiários para funcionários
- Reservatórios
- Depósito de lixo
- Portarias
- Sala de segurança
- Depósitos
- Oficinas
- Estacionamento

NOVA ARENA - ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA PONTE PRETA

O projeto Arena Ponte Preta está prestes a ser entregue ao Banco Nacional de Desenvolvimento do Estado (BNDES) e o fato de que o banco só irá subsidiar juros para a construção de Arenas construídas por governos municipais e estaduais não será um empecilho para o estádio Multiuso Padrão Fifa da Ponte Preta.

- Estávamos esperando as definições do BNDES na expectativa que clubes e empresas privadas também tivessem melhores opções, mas, mesmo sem subsídios, os juros do BNDES são menores que os praticados no mercado e perfeitamente viáveis para a Ponte e sua parceira, a Odebrecht. Além disso, tivemos uma boa notícia: o BNDES deixou claro que só financiará Arenas que tenham vida útil comprovada após a Copa, o que é o nosso caso - frisou o presidente Sérgio Carnielli.

Na opinião do dirigente, o fato de alguns clubes, como o Grêmio, terem desistido de construira sua Arena pode estar diretamente ligado ao fato de que os estádios não têm projetos auto-sustentáveis.

- Hoje não dá para uma Arena ser viável só com futebol. Por isso mesmo nosso projeto é multiuso. Além de toda estrutura de lojas e serviços, já estamos em contato com diversos parceiros para que ela seja utilizada na promoção de shows, eventos e atividades de outras modalidades esportivas. Só desta forma uma Arena é viável - enfatizou o dirigente.

O presidente ressalta que o custo da Arena – estimado em R$ 165 milhões – terá 70% de seu total financiado pelo BNDES. Os demais 30% serão pagos metade pela Ponte e metade pela Odebrecht.

- O Valor da Ponte virá da venda do Estádio e o importante para o BNDES é justamente ver isso, que o clube tem como pagar e cumpre seus compromissos. Claro que a venda do estádio será nos termos já especificados pela Ponte: ele só será entregue quando a Arena estiver pronta e a fachada será preservada para manter a memória do Moisés Lucarelli - emendou.

Carnielli ressalta ainda que, como a Odebrecht é parceira no empreendimento, o custo da arena por metro quadrado será mais baixo. “Como a construtora é interessada direta e sócia da Arena, eles trabalharão com preço de custo, praticamente sem ter lucratividade na construção”, explicou.

A construção do novo estádio da Ponte foi aprovada no dia 25 de maio de 2009, em votação realizada no estádio Moisés Lucarelli. Do total de votantes (518), 471 disseram sim à nova Arena (o equivalente a 91,3% dos votos válidos), 45 foram contrários e dois votaram em branco.

O projeto da Arena da Ponte Preta, desenvolvido pela Construtora Odebrecht, contempla um estádio multiuso, padrão FIFA, cuja lotação será de 30.028 pessoas – neste número não estão inclusos pessoal de apoio, vendedores, trabalhadores, PM, imprensa, etc. Todos os assentos têm grande proximidade e visibilidade do campo e são cobertos. Não se trata de um simples conjunto de arquibancadas, mas de uma Arena multiuso, rentável, que será utilizada sete dias por semana.

A Arena Ponte Preta ficará em uma área centralizada do terreno do Jardim Eulina, envolta por uma grande praça de recepção do público e um estacionamento para 2,2 mil veículos. Quatro áreas de arquibancadas estão distribuídas em torno do estádio, o que confere um aspecto mais “quadrado” ao local (não há assentos nos cantos, que são reservados para as rampas de acesso).

Nas quatro áreas de arquibancadas, há divisões em quatro níveis ou pisos: nível superior, área VIP, camarotes e área inferior. Todos eles são cobertos. Na área exterior, espaços rentáveis para lojas, restaurantes, centro de convenções e outros serviços.

NOVA ARENA

TERRENO: 86.888 m²

PÚBLICO: 30.028 ASSENTOS
- anel inferior: 12.000
- anel executivo: 3.600
- camarotes (VIP): 1.428
- anel superior: 13.000

ÁREA CONSTRUÍDA: 113.519 m²

FECHAMENTOS:
- telha metálica isolante
- cobertura de vidro

VAGAS DE ESTACIONAMENTO: 2.225
1º subsolo: 1.534
2º subsolo: 691

Fonte: Assessoria de Imprensa